Leo Ar
Ser Universitario
 

IESB promove debate sobre os três anos da operação Lava Jato

01/04/2017 - 09:08h

IESB promove debate sobre os três anos da operação Lava Jato

Em Brasília, o Centro Universitário IESB - em parceria com Ordem dos Advogados do Brasil/DF e a Associação Nacional dos Advogados Unidos Contra a Corrupção (AUCC) – reuniu ilustres juristas em seu auditório do campus da 609 norte, para debater o tema: O Direito e o Combate à Corrupção no Brasil, 3 Anos da Operação Lava Jato. Entre os convidados, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil/DF, Juliano Costa Couto, falou sobre a importância da operação para o Brasil e da abertura de um debate entre os jovens na busca de um futuro melhor para o país. “A Lava Jato tem feito um trabalho de resgate, busca e perseguição saudável. Obviamente, em relação à advocacia e alguns direitos, temos algumas ressalvas por entender que alguns atos talvez exagerem um pouco, mas a missão de afastar a peste da corrupção do país é muito importante, sendo preciso um trabalho coletivo. Por isso, essa abertura que o IESB sempre oferece ao debate democrático é muito válida. Aqui está o futuro do país. A juventude tem que ser conscientizada do seu papel social e acredito que o IESB cumpre essa missão. Que os advogados que daqui saiam não se preocupem somente com seus contratos e honorários, mas que possam, também, ter a consciência do seu papel na sociedade”, afirmou Couto.

Durante o debate, o advogado João Berchmans ressaltou a amplitude do tema e também a importância de uma movimentação coletiva. “A corrupção é uma das palavras mais mencionadas nos meios de comunicação nos últimos tempos. Ela significa a quebra ou rompimento por parte. E quando se pratica uma medida desta natureza, na realidade, o que está tirando é algo muito precioso, que é o crime cometido contra própria administração pública e ao cidadão de bem. Por isso, debates como este devem entrar na vida diária da população. O Brasil ocupa hoje a 76º posição na transparência nacional e isso nos envergonha. Quando se faz uma invasão no patrimônio público, é o bolso de cada um de nós que está sendo vitimado, com prejuízos de difíceis reparações”, destacou Berchmans.

O evento contou ainda com a participação do ministro do Superior Tribunal de Justiça e doutor Professor do IESB, Néfi Cordeiro, presidente da mesa; o advogado Luís Landers, presidente da AUCC; o advogado Rodrigo Badaró, conselheiro da AUCC; o juiz Bruno Ribeiro (professor de Direito Penal do IESB); o promotor de justiça e professor Paulo Binicheski e os advogados e Professores do IESB Délio Lins e Silva, Paulo Catta Preta e Luiz Carlos Bivar. “Estamos vivendo uma época de moralização do Brasil e de repensar a política. E a principal mola precursora disso é o enfrentamento da corrupção. Então, quando temos a oportunidade de discutir o assunto na comunidade acadêmica, entre os cidadãos que vão influenciar a nossa sociedade, é muito valioso. Reunidos, podemos provocar reflexões para sairmos daqui pensando como podemos colaborar para mudar o Brasil. É essa contribuição individual que, coletivamente, vai fazer diferença”, completou o ministro Néfi Cordeiro.


Fonte: IESB


Compartilhe e exponha sua opinião...

Mais notícias
Veja todas as noticias