Leo Ar
Ser Universitario
 

Logística aeroportuária (tecnologia)

Untitled Document

Resumo do Curso

Profissionais que conhecem os segredos do armazenamento, da estocagem, do transporte, da importação e da exportação de produtos das mais variadas origens. E ainda dominam os horários e os caminhos para o escoamento adequado de diversas mercadorias. Tudo isso dentro da rotina dos aeroportos.

Esse é o perfil do tecnólogo em Logística Aeroportuária, profissional imprescindível para uma cidade como Guarulhos, que abriga o Aeroporto Internacional de São Paulo, o maior da América do Sul no transporte de carga, segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

Sempre em sintonia com o perfil socioeconômico de cada cidade, o Centro Paula Souza oferece na Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Guarulhos, desde o 2º semestre de 2008, o curso superior tecnológico de Logística Aeroportuária, com duração de três anos. De acordo com a diretora da unidade, Mariluci Alves Martinho, a idéia da implantação do curso veio depois de um diagnóstico do mercado de trabalho da cidade, feito com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do município, que mantém estatísticas atualizadas sobre os diversos segmentos da economia local. “Avaliamos que o setor aeroportuário é muito importante e que há a necessidade de preparar pessoas para atuar nesse mercado”.

Para entender a complexidade do trabalho que os futuros tecnólogos vão encontrar, basta dizer que o terminal de logística de um aeroporto como o de Guarulhos tem mais de 90 mil metros quadrados e conta com recepção, embalagem, movimentação e armazenagem de mercadorias vindas dos setores de importação e exportação.
Aeroporto de Guarulhos- Governador André Franco Montoro

Um diferencial na grade do curso é o ensino de língua estrangeira, para facilitar a comunicação dos futuros tecnólogos com profissionais de várias partes do mundo – de Guarulhos, por exemplo, partem e chegam vôos de 26 países e 117 cidades de todo o mundo.

O setor aeroportuário brasileiro gera atualmente cerca de 50 mil empregos. Em 2007, foi movimentado 1,3 milhão de toneladas de cargas de importação, exportação e doméstica. O primeiro aeroporto em arrecadação é o de Guarulhos, seguido por Viracopos (em Campinas), Manaus (AM) e Galeão (na cidade do Rio de Janeiro).

O mercado de trabalho

A necessidade de manter um setor de logística adequado torna essa área de atividade muito promissora. O tecnólogo é contratado para cuidar do armazenamento, almoxarifado e controle de estoque, bem como para planejar o transporte de mercadorias da empresa para os clientes otimizando tempo e custos. Ele encontra boas oportunidades em empresas privadas dos mais diversos setores e portes, como de transporte, automobilístico, alimentício, tecnologia e varejo. O comércio eletrônico criou um mercado bastante amplo de distribuição de mercadorias. "Isso gera novas oportunidades de emprego para os profissionais de logística, pois fazer o produto chegar às mãos do cliente em bom estado e em pouco tempo passou a ser um desafio para essas empresas", diz a professora Bernadete Rossi Barbosa Fantin, coordenadora do curso de Logística da Fatec Botucatu. Órgãos públicos ligados ao setor de engenharia de tráfego, como a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), de São Paulo, também empregam o profissional atuando em conjunto com os agentes de trânsito para melhora do fluxo de veículos. O metrô de São Paulo admite o tecnólogo, que precisa prestar concurso público para entrar na companhia. O Sul e o Sudeste, em especial as cidades industriais paulistas, oferecem o maior número de vagas, mas há boas perspectivas no Nordeste, onde muitas empresas estão abrindo filiais.

Salário inicial: R$ 1.500,00 (fonte: profa. Nadir Becker, da Ulbra).

O curso

Para aprender a lidar com o trânsito caótico das grandes cidades e a administrar o transporte de cargas com eficiência e baixo custo, é fundamental dominar diversas áreas de conhecimento. O currículo engloba disciplinas tanto de ciências exatas, como estatística e física, quanto de sociais aplicadas, como administração, marketing e psicologia social. As matérias específicas incluem transporte público, engenharia de tráfego, educação e segurança de trânsito. O estágio, de 400 horas, é obrigatório e feito em empresas públicas ou privadas do setor, como Detrans e transportadoras. Para se formar é necessário apresentar uma monografia ou um projeto. Alguns cursos são voltados para os aspectos administrativos de logística, preocupando-se mais com a redução de custos e do tempo de transporte de produtos.

Duração média: três anos.

Outros nomes: Estr.; Gestão de Log.; Gestão e Seg. no Trânsito; Gestão em Log.; Gestão Log.; Log.; Log. (portuária); Log. Aeroportuária; Log. Empr.; Plan. Log. de Cargas; Trânsito (educ., gestão e legislação); Transp. Terrestre; Transp. Terrestre: Gestão do Transp. e Trânsito Urbano; Transp. Urbanos.

 


Universidades / Faculdades que oferecem este curso de graduação

Não foram encontradas faculdades para este curso